A organização ambiental Greenpeace e a Tcktcktck – uma coalizão de organizações estruturada especialmente para pressionar líderes mundiais para que apresentem propostas contundentes de redução de emissões de gases de efeito estufa – lançaram uma nova campanha a poucos dias da cúpula das Nações Unidas sobre o clima, que começa na próxima semana em Copenhague.

Foram instalados cartazes no aeroporto da capital dinamarquesa com montagens de diversos líderes globais. As fotos os mostram já velhos, com cabelos brancos, como se fosse no ano de 2020 e com a seguinte frase: “Sinto muito. Nós poderíamos ter evitado uma catástrofe climática, mas nada fizemos”. O brasileiro Lula, o americano Obama e o francês Sarkozy são alguns dos retratados.

A mensagem é uma alusão à cúpula sobre o clima, que decidirá um novo acordo de redução de emissões de gases de efeito estufa. No entanto, as propostas que foram apresentadas pelos países até o momento não são suficientes, de acordo com a comunidade científica internacional, para manter a temperatura abaixo do nível crítico de 2ºC e evitar catástrofes causadas pela mudança climática.

Ambientalistas e cientistas falam numa redução global de 40% das emissões de gases de efeito estufa até 2020, especialmente o CO2, em relação aos níveis de 1990. Os Estados Unidos, porém, falam em 17% em relação aos níveis de 2005, o que, na prática, representaria uma redução de não mais que 5%. O Brasil disse que reduziria por volta de 39%, mas até agora não mostrou como isso seria feito de fato. A União Europeia apresentou uma proposta de redução de 30% de suas emissões, mas já sinalizou que pode aumentar o valor, dependendo do desenrolar das reuniões em Copenhague.

Líderes se "desculpam pelo fracasso" da cúpula sobre o clima

Sem mais artigos
Sair da versão mobile