Londres estuda cobrar de seus motoristas uma espécie de “taxa de congestionamento”. Quem resolver dirigir seu carro em horários de grande movimento na região central da cidade seria obrigado a pagar uma taxa por isso.


 


E a prefeitura não para por aí. Outra taxa em estudo seria uma valor de até 1,34 Libras por milha rodada no centro. Transformando os números para a realidade brasileira, seria como alguém pagar mais de R$ 20 por uma voltinha rápida de 10 quilômetros pelo centro de alguma grande cidade.


 


Os carros seriam rastreados por satélite quando entrassem no perímetro central da cidade. O valor arrecadado serviria para financiar projetos de ciclovias e para melhorar o já eficiente sistema de transporte público da cidade, que inclui uma das maiores redes de metrô do mundo. A consequência indireta da medida seria também a redução da poluição, contribuindo para evitar a emissão de carbono na atmosfera e, assim, combater o esfeito estufa.


 


O projeto tem levantado calorosas discussões na mídia de Londres devido aos valores envolvidos e à desconfiança se o dinheiro seria integralmente investido no sistema de transporte da cidade. É estimado que o valor arrecadado chegaria a 2,25 bilhões de Libras por ano.

Sem mais artigos