O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi
escolhido personagem do ano pelo jornal espanhol El País e
qualificado pelo líder do Governo da Espanha, José Luis Rodríguez
Zapatero, como “um homem cabal e tenaz”, em um artigo publicado na
quinta-feira (10) no site do diário.

O perfil de Lula fará parte de um suplemento especial elegendo
“Os 100 do Ano” entre homens e mulheres ibero-americanos que
marcaram 2009. O artigo será publicado pelo El País no domingo (13),
mas foi antecipado por sua versão digital.

O encarregado de traçar o perfil do presidente brasileiro foi
Zapatero, que lembra que o conheceu em setembro de 2004, após a
incorporação da Espanha à Aliança Contra a Fome, liderada pelo
presidente brasileiro, em uma cúpula organizada pelas Nações Unidas
em Nova York. “A ocasião não podia ter sido melhor”, diz.

Após lembrar suas modestas origens, Zapatero destaca que pelas
mãos de Lula, “seguindo o caminho aberto por seu antecessor,
Fernando Henrique Cardoso, o Brasil, em apenas 16 anos, deixou de
ser o país de um futuro que nunca chegava para se transformar em uma
formidável realidade, com um brilhante porvir e uma projeção global
e regional cada vez mais relevante”.

O presidente do Governo espanhol considera que o Brasil “é um dos
países emergentes que conta com uma democracia consolidada, e está
chamado a desempenhar nas décadas seguintes uma crescente liderança
política e econômica no mundo, como já vem fazendo na América Latina
com notável acerto”.

O artigo de Zapatero aponta que “Lula tem o imenso mérito de ter
unido a sociedade brasileira em torno de uma reforma tanto ambiciosa
quanto tranquila. Está sabendo, sobretudo, enfrentar, com
determinação e eficácia, os desafios da desigualdade, da pobreza e
da violência, que tanto lastreou a história recente do país”.

Acrescenta que “como consequência disso, sua liderança goza hoje
no Brasil do respaldo e do apreço majoritários, mas mais importante
ainda é a irreversível aceitação social de que todos os brasileiros
têm direito à dignidade e à auto-estima, por meio do trabalho, da
educação e da saúde”.

Zapatero aponta que “superando adversidades de toda ordem, Lula
percorreu com sucesso esse longo e difícil caminho que vai desde o
interesse particular, em defesa dos direitos sindicais dos
trabalhadores, ao interesse geral do país mais povoado e extenso do
continente sul-americano”.

No plano internacional, o presidente do Governo espanhol opina
que nos sete anos da Presidência de Lula, o Brasil “ganhou a
confiança dos mercados financeiros internacionais, que avaliam a
solvência de sua gestão, a capacidade crescente de atrair
investimentos diretos, como as efetuadas por várias companhias
espanholas, e o rigor com que administrou as contas públicas”.

Zapatero define Lula como um “homem honesto, íntegro,
voluntarioso e admirável”. Após lembrar que o Brasil ocupará em
breve um lugar no Conselho de Segurança da ONU, que está a ponto de
se transformar em uma potência energética e que em 2014 receberá a
Copa do Mundo, Zapatero se refere à reunião de outubro, em
Copenhague, quando o Rio de Janeiro foi eleita cidade sede dos Jogos
Olímpicos de 2016.

“Lula chorava de felicidade, como uma criança grande, porque o
Rio de Janeiro acabava de ser escolhida cidade organizadora dos
Jogos Olímpicos de 2016. A euforia que o inundava não o impediu de
ter o valor necessário para vir me consolar porque Madri não tinha
sido escolhida”, lembra.

“Não me estranha que este homem impressione o mundo”, conclui
Zapatero em seu artigo.

Sem mais artigos