O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, inicia nesta segunda-feira (23) uma visita oficial de apenas um dia ao Brasil. Ahmadinejad será recebido em Brasília pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele viaja acompanhado de uma comitiva de quase 300 pessoas, entre membros de seu governo e empresários.

O objetivo do encontro com Lula é selar a aproximação das potências regionais com interesses convergentes, já que ao estender o tapete vermelho a um dos líderes mais criticados o petista vai colocar a prova a pretensão de transformar o Brasil em potência internacional.

Oficialmente, os Estados Unidos alegaram ver com bons olhos a hipótese do Itamaraty ajudar a normalizar as relações do Irã com o Ocidente, mas o sentimento dominante em Israel e de países europeus mescla ceticismo e resignação. O Irã é acusado de patrocinar o terrorismo, além de ter um programa nuclear suspeito de fins militares.

O vice-presidente do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, embaixador Marcos Azambuja considera importante o diálogo com o Irã. Ele avaliou ainda que a diplomacia brasileira dificilmente vai convencer o Irã a mudar posições estratégicas no cenário mundial.

A visita de Ahmadinejad é a primeira de um presidente do Irã ao Brasil e tem o objetivo de estreitar os laços políticos e econômicos entre os dois países. No ano que vem, será a vez de Lula visitar o Irã em uma viagem prevista para o primeiro semestre. Entidades ligadas a movimentos civis e religiosos protestaram neste domingo, no Rio de Janeiro e em Brasília contra a visita de Mahmoud Ahmadinejad.

Sem mais artigos