O Tribunal de Podgorica condenou hoje a 30 anos de prisão o ex-lutador de caratê Damir Mandic por cumplicidade na morte a tiros de Dusko Jovanovic, editor e diretor do jornal “Dan”, em 2004, na capital de Montenegro.

Mandic foi condenado após um novo processo judicial pelo homicídio premeditado, planejado com cúmplices desconhecidos até o momento, argumentou o Tribunal. Além disso, rastros do DNA de Mandic foram encontrados no veículo e partículas de pólvora em sua roupa, entre outras provas.

Outras duas pessoas, cuja identidade ainda não se conhece, estiveram com Mandic no carro; uma deles dirigia o veículo e a outra atirou no jornalista, fortemente oposicionista, em frente à redação do “Dan” em Podgorica, em maio de 2004. Em um julgamento anterior pelo mesmo crime, em 2006, Mandic havia sido absolvido.

Lutador de caratê pega 30 anos de prisão por matar jornalista em Montenegro

Sem mais artigos