Marcos Palmeira tem quase trinta filmes no currículo, treze novelas e uma porção de miniséries. É um cara que gosta da natureza. Tanto que faz do plantio de alimentos orgânicos uma outra ocupação. Ele planta alimentos orgânicos (sem uso de agrotóxico) em Teresópolis, na serra do Rio de Janeiro. Além disso,  é  consultor e presta assistência em diversos projetos de alimentação orgânica espalhados pelo Brasil, inclusive a implantação do projeto PAIS – Produção Agrícola Integrada Sustentável, na aldeia Xavante de São Pedro, Onça Preta e Parinaíba, na Reserva Parabubure no Mato Grosso. Bati um papo com ele, que assim como a gente, está lutando para salvar o planeta!

Gabriel Moojen: Por que você começou a trabalhar com produtos orgânicos?
Marcos Palmeira: Porque descobri que quem plantava não comia por uso de veneno!

Gabriel Moojen: Você é radical, digo, só come alimentos orgânicos? Desde quando?
Marcos Palmeira: Não sou radical, acho que o radicalismo não ajuda em nada, mas me alimento basicamente de produtos orgânicos há quinze anos.

Gabriel Moojen: Como é sua relação com seus colegas de elenco quando o papo é meio ambiente? Você discute novas atitudes em relação ao planeta?
Marcos Palmeira: Procuro esclarecer duvidas e estimulá-los a comerem
orgânico. Meus colegas são grandes parceiros.

Gabriel Moojen: O que você fazia e não faz mais que fazia antes de preocupar com meio ambiente?
Marcos Palmeira: Não como mais morango que não seja orgânico, separo o meu lixo, fecho as torneiras na hora de me ensaboar ou lavar o rosto.

Gabriel Moojen: Você acredita que o homem pode viver em harmonia com a natureza, sem desgastar o planeta?
Marcos Palmeira: Tenho toda convicção nisso. Podemos aproveitar muito mais as nossas riquezas naturais sem destruí-las.

Sem mais artigos