O brasileiro Marílson Gomes dos Santos buscará amanhã a terceira vitória na emblemática Maratona de Nova York, depois de ter sido o primeiro a cruzar a linha de chegada nas edições de 2006 e 2008.

Marílson está desde segunda-feira na cidade preparando sua participação em uma das maiores provas do planeta, onde pretende se confirmar outra vez como grande maratonista.

Os discretos resultados desta temporada, como o 16º lugar no Mundial de atletismo em Berlim, com 2h15min13, não diminuiu a confiança do brasileiro em suas próprias possibilidades, porque ele considera que, com cada maratona que termina, ganha mais moral.

Após Berlim, Marílson se preparou para Nova York em Campos do Jordão (SP), sob a batuta do treinador Adauto Domingues. Ele só abandonou a preparação para participar do Mundial de meia maratona em Birmingham (Reino Unido), onde foi 17º, mas sua prioridade era estar a ponto para a prova de amanhã.

O brasileiro sabe que há atletas que podem conquistar a vitória e substituí-lo no histórico. Por isso, não quis destacar um especialmente.

“É difícil mencioná-los, porque há mais de dois ou três”, disse o atleta brasileiro.

No entanto, destaca-se o marroquino Jaouad Gharib, duas vezes campeão mundial e que este ano, em Londres, correu a distância em 2h05min27.

Patrick Makau, James Kwambai e Robert Kipkoech Cheruiyot lideram o bloco queniano, após a baixa por lesão de Martin Lel, ganhador duas vezes em Nova York (2003 e 2007).

Sem mais artigos