Os documentos que foram entregues por Durval Barbosa à Polícia Federal indicam que festas e churrascos foram realizados com dinheiro público em uma casa usada pelo governador José Roberto Arruda (DEM-DF). Arruda utilizou o imóvel durante a campanha eleitoral de 2006.

De acordo com Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais e delator dos escândalos, até R$ 7 milhões de dinheiro desviado da estatal do DF que presidia, a Codeplan, foram parar na casa. Cerca de R$ 400 mil estão discriminados em recibos e notas fiscais datadas de outubro a dezembro daquele ano, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo.

O responsável por administrar a casa de Barbosa era o “caseiro” Tales Souza Ferreira. Contratado para um cargo de confiança na Codeplan, Ferreira teria começado na empresa como motorista até subir rapidamente de posto. Ele foi o responsável por cobria gastos, que incluíam churrasqueiro, linguiça e coxinha de frango.

Segundo Barbosa, a Codeplan cobria gastos variados, da gravação dos programas de TV do DEM até festinha de fim de ano para funcionários da casa.

Sem mais artigos