O atacante Lionel Messi, do Barcelona,
mostrou-se hoje bastante emocionado ao receber o troféu Alfredo Di
Stefano, concedido ao melhor jogador do futebol espanhol em todas as
competições.

“Estou mais nervoso do que nunca, não só pelo prêmio, mas por
estar ao lado dessas duas pessoas e de receber de suas mãos o
troféu”, disse, referindo-se a Diego Maradona e ao próprio Di
Stefano.

Messi foi eleito por um júri composto por personalidades do
futebol como Jorge Valdano, Luis Aragonés, Emilio Butragueño,
Fernando Hierro e Johan Cruyff, entre outros.

“Espero ganhar também a Bola de Ouro (dada pela revista “France
Football” ao melhor jogador que atua na Europa), mas se não for
desta vez, não ficarei chateado”, disse.

Já Maradona, que dirige Messi na seleção argentina, parabenizou o
jogador, mas exaltou ainda mais a figura de Di Stéfano, um dos
melhores jogadores de todos os tempos, segundo especialistas.
Nascido na Argentina, o ex-jogador de Real Madrid e River Plate,
hoje com 83 anos, também possui cidadania espanhola.

“Estar ao lado de ‘Don Alfredo’ sempre é um prazer. Todos os
argentinos o amam muito. Os espanhóis também, mas Alfredo é
argentino e é nosso. Fico emocionado por estar a seu lado”, afirmou.

Perguntado sobre o futuro da seleção argentina, Maradona disse
que, após ter superado diversos obstáculos nas Eliminatórias, a
equipe “vai incomodar no Mundial da África do Sul”.

“Em geral os maiores favoritos não ganham, e quem estiver melhor
técnica e fisicamente fará boa campanha. É um torneio curto e
estamos esperançosos”.

Sem mais artigos