O francês Jean Todt, ex-diretor esportivo
da Ferrari e candidato à Presidência da Federação Internacional de
Automobilismo (FIA), disse hoje que a decisão sobre um eventual
retorno de Michael Schumacher à Fórmula 1 só depende do próprio
alemão.

“Ele é uma pessoa fantástica e tenho muito orgulho de ser seu
amigo. Posso até opinar, mas Schumacher é que decidirá o que fazer
de sua vida”, afirmou Todt.

O sete vezes campeão mundial da F-1 deixou as pistas em 2006 e
chegou a ser anunciado como substituto de Felipe Massa na Ferrari
enquanto o brasileiro recuperava-se de um acidente sofrido no treino
de classificação para o GP da Hungria.

Porém, ele desistiu da ideia por conta de dores no pescoço e
adiou a decisão para 2010.

Todt comentou que Schumacher “tem paixão” pela direção, mas já
tem 40 anos e precisará “seguir enfrentando desafios em sua vida”.

O francês comentou que sua decisão de buscar a Presidência da FIA
é como participar de uma corrida, já que não pode vencer sozinho.

Todt lamentou o acidente de Felipe Massa e está feliz com a
evolução mostrada pelo piloto até agora. Para ele, o brasileiro
sobreviveu pelas medidas de segurança do circuito.

O ex-diretor esportivo da Ferrari negou que a Fórmula 1 seja
previsível, chamando a categoria de “muito interessante”.

Sem mais artigos