O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, manifestou hoje sua satisfação pela redução de 46,3% no número de casos de dengue no país este ano, mas admitiu que, enquanto não houver uma vacina eficaz, o Brasil seguirá enfrentando problemas com a doença.

Segundo os números divulgados hoje pelo ministro, o país registrou entre janeiro e agosto deste ano 406.883 casos de dengue, muito abaixo dos 758.051 casos reportados no mesmo período do ano passado.

No discurso que pronunciou no lançamento de uma nova Campanha Nacional de Combate ao Dengue, Temporão acrescentou que as esperanças estão centradas agora no acordo inédito que o Brasil assinou este ano com a multinacional farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) para o desenvolvimento conjunto de uma vacina contra o dengue.

Segundo o ministro, é a primeira vez que um laboratório multinacional se associa ao Brasil para tentar combater uma doença considerada de países em desenvolvimento.

“Mas é preciso deixar claro que a vacina demorará porque, para ser eficaz, terá que proteger contra os quatro tipos de dengue. Temos que apostar no desenvolvimento da vacina e, enquanto isso, usar os mecanismos de prevenção com que contamos”, disse.

Gomes Temporão tinha manifestado em setembro, quando viajou para Londres para assinar o acordo com a Glaxo, que em um prazo de cinco anos seria possível concluir o desenvolvimento e os testes da vacina.

Sem mais artigos