O Ministro do Esporte, Orlando Silva, prometeu hoje (25) que será
encaminhado ao Congresso Nacional, em dezembro, um projeto de lei para
criar a autoridade brasileira em controle de dopagem. A declaração foi
feita durante entrevista com representantes da Agência Mundial
Antidoping (Wada) na sigla em inglês. Também estiveram presentes
membros da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Comitê
Olímpico Brasileiro e do Comitê Paraolímpico Brasileiro.

“É
um compromisso do Brasil com o Comitê Olímpico Internacional”, disse o
ministro se referindo à campanha que elegeu o Rio de Janeiro como sede
dos Jogos Olímpicos de 2016 na qual foi prometida a criação da Agência
Nacional Antidoping. O diretor da agência mundial na América Latina,
Diego Villegas, apresentou o modelo para a futura agência brasileira se
adequar aos moldes internacionais e unificar as regras “O Brasil tem
muita experiência e conhecimento, mas todo o processo pode ser
melhorado e a Wada está aqui para ajudar nisso”, disse Villegas.

Atualmente
existem 35 laboratórios credenciados pela Wada em todo o mundo. Apenas
um deles está no Brasil, o Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento
Tecnológico que faz parte do Instituto de Química da Universidade
Federal do Rio de Janeiro. “É preciso ampliar as instalações e garantir
equipamentos de última geração no Brasil”, comentou o ministro, a
respeito do laboratório.

Orlando Silva disse
ainda que o recente aumento dos casos de doping no país sinaliza também
uma melhoria na fiscalização. “Nós vamos aumentar o cerco da
fiscalização da dopagem”.

Sem mais artigos