Com uma folha de coca na mão, que depois mastigou, o presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu nesta quarta-feira (11/03) durante a reunião da Comissão de Narcóticos da ONU, em Viena, que retire a planta da lista de entorpecentes proibidos pelas convenções internacionais.

“Isto é uma folha de coca, não é cocaína. Não é possível que esteja na lista de entorpecentes da ONU”, declarou Morales com a planta na mão, arrancando aplausos de várias delegações. “A mastigação é isto. Não faz mal a ninguém. Não é porque mastigo que sou viciado em drogas. Se for assim, (Antonio María) Costa (responsável da ONU para a luta antidrogas e presente na sala) deveria me levar preso”, acrescentou.

“Eu sou produtor desta folha de coca. Não é porque sou produtor que sou narcotraficante”, acrescentou Morales, pedindo à legislação internacional que se adéque a uma nova realidade. “Esta folha de coca é medicina para os povos. Não é prejudicial para a saúde humana em seu estado natural”, frisou.

O presidente boliviano disse que é um erro histórico considerar a folha de coca como um entorpecente, o que acontece desde 1961. Além disso, reforçou que lutará “de maneira frontal contra a cocaína, o narcotráfico e as drogas”.

“Consumi intensamente folha de coca durante dez anos, quando trabalhava na agricultura, e não me sinto desnutrido. E tenho 50 anos!”, declarou. O chefe de Estado também disse que o consumo de folha de coca já era comum três mil anos antes de Cristo e que não é possível eliminar uma prática tão antiga.

Sem mais artigos