Klaxons – Echoes

Primeiro e inspirado single do novo álbum do trio inglês. Chega com a missão de mostrar que os Klaxons não eram fogo de palha de uma infelicidade chamada “new rave”. “Echoes” dá pistas de que essa missão será amparada por um som bem mais pesado e denso. Certeza que é influência do novo produtor, Ross Robinson, que já trabalhou com Korn, The Cure e Limp Bizkit. O álbum promete!

(Camilo Rocha, editor de Música)

 

Dance of Days – Nos Olhos da Guernica

Digam o que quiser sobre o Nenê Altro. Pode falar que ele é político e demagogo no palco. Pode até dizer que ele fala umas besteiras vergonhosas no shows do Dance. Fato é que o Coração de Tróia foi um disco muito importante para o rock nacional, levantando a banda até o posto de maior grupo underground do país em 2002. Lá estão as melhores letras do compositor, lotadas de referências e tratando dos mais diversos assuntos. Fora que o instrumental é impecável, barulhento e foi muito, mas muito influente em todo o cenário pós-hardcore de São Paulo. Então larga a mão de ser preconceituoso e ouve aí pra tirar suas conclusões.

(Luiz Filipe Tavares, repórter de Música)

 

Racionais MC’s – Raio X do Brasil

O melhor grupo de rap do Brasil ameaça há uns dois anos, mas ainda não lançou seu novo disco. O jeito, então, é ouvir novamente o melhor CD deles, Raio X do Brasil (1993). No disco, estão a espetacular Fim de Semana no Parque, Homem na Estrada e outras poesias musicadas – e ainda atuais – sobre a realidade das periferias brasileiras. Vale destacar as bases do DJ KL Jay, bem mais “musicais” do que nos outros CDs e com samples de funk americano, Jorge Benjor e Tim Maia. Clássico!

(Denis Moreira, editor de Diversão)

 

Devo – Fresh

O Devo demorou 20 anos, mas voltou com tudo em seu novo álbum, Something For Everybody. Os veteranos da new-wave conseguiram resgatar a energia de seus primeiros álbuns e fizeram um ótimo trabalho, recheado de hits prontinhos para as pistas. A melhor faixa do álbum é Fresh, que tem o refrão mais grudento de 2010 – ganhando até mesmo de Drunk Girls, do LCD Soundsystem.

(Stefanie Gaspar, repórter de Música)

 

Neurosis – Times of Grace

Para aqueles que também entraram no clima de “mundo acabado” após o jogo do Brasil contra a Holanda. Claro que metade do sentimentalismo era da cerveja no café da manhã, mas foi bravo aguentar o resultado. A trilha ideal para o dia bucólico seria o Neurosis, um grupo dificílimo de definir. Formado em 85, o sexteto faz um som que mescla doom/drone/post-rock/industrial e serviu de influência para muitas bandas atuais (Mastodon que diga!). Uma definição que pode soar exagerada, mas verdadeira: o Neurosis seria perfeito para a trilha sonora do fim do mundo.

(Jean Felipe, repórter de Música)

 

Ralphi Rosario/Xaviera Gold – You Used To Hold Me

Saí pra dançar no sábado e vi meu amigo Camilo Rocha, editor de música do Virgula, tocando esta música que é um verdadeiro Viagra de festa: You Used To Hold Me, do DJ americano Ralphi Rosario com a cantora Xaviera Gold. Hino dos anos 80/90, You Used To Hold Me é o tipo de música que fica na cabeça até a próxima festa.

(Claudia Assef, editora-executiva)

 

Graforreia Xilarmônica – Amigo Punk

Rápido e rasteiro: a Graforreia Xilarmônica é a melhor banda de rock gaúcho de todos os tempos – e uma das melhores do Brasil. Amigo Punk é o clássico maior da banda e do gênero. Apesar disso, a banda não gerou filhos diretos, devido ao caos sonoro particular. Para entender melhor a história e importância do grupo, vale a pena ver o documentário “Erfa-te, Graforreia Xilarmônica”, disponível aqui.

(Tiago Agostini, editor de Home)

 

Donna Summer – Love To Love You Baby

Essa semana eu adotei uma cachorrinha linda junto com meus colegas de apartamento. Ela chegou ontem à noite de Santos com 40 dias. Como ela é preta, resolvemos homenagear uma cantora negra e a batizamos de Donna. Também vale pelo clipe, que tem dancarinos dignos de Fred Mercury Prateado.

(Rafael Takano, repórter de News)

Sem mais artigos