O tenista espanhol Rafael Nadal, que busca o pentacampeonato do torneio de Roland Garros, se mostrou indignado com o sistema atual dos exames antidoping, que obrigam os atletas a dizerem onde estarão por pelo menos uma hora ao dia.

“É uma falta de privacidade enorme. Temos de pagar um preço muito alto por jogar tênis, embora eu seja o primeiro a querer um esporte totalmente limpo”, disse o espanhol, que passou por dois exames nos últimos dez dias – um deles tendo que acordar às 6h.

Segundo o número um do mundo, que também reclamou disso no Aberto da Austrália, todos os jogadores são contra as novas regras, e pediu que a Federação Internacional de Tênis, (ITF, em inglês) tome medidas para acabar com isso.

“Você pode ter beijado uma pessoa que tenha tomado alguma coisa na noite anterior e se prejudicar. As regras são excessivas e injustas”, disse Nadal, que aproveitou para mostrar apoio ao francês Richard Gasquet, punido com dois anos de suspensão por consumo de cocaína.

“Conheço Gasquet, é meu amigo e falei com ele por telefone. Sei que não tomou cocaína”, apontou.

Outro a criticar as novas normas foi o também espanhol David Ferrer. “Acabei prejudicado porque joguei cinco sets na quarta e terminei às 21h, fiz fisioterapia até 2h e às 7h já estavam batendo na minha porta para o antidoping”, contou.

“É ridículo porque passamos por 15 ou 20 exames antidoping ao ano e é sua vida particular, eu não posso saber a cada dia onde estarei. Eles não ganham nada com isso, só mais tensão entre os jogadores”, completou. Ferrer, que não vê solução ao assunto nem mesmo com um boicote.

Para Toni Nadal, tio e treinador de Rafael, os jogadores deveriam boicotar o Comitê Olímpico.

“Acho que deveria ser intolerável, não só por parte dos jogadores, mas por parte de todos os esportistas que deveriam ser totalmente contra o Comitê Olímpico e boicotá-lo”, afirmou.

“Não é possível que um esportista, pelo mero fato de ser esportista, seja tratado como um delinquente e que sua inocência tenha de ser demonstrada constantemente. Acho estranho que eles também não passem por exames antidoping”, disse.

Toni Nadal pediu bom senso das pessoas e dos dirigentes, principalmente pelo respeito à vida íntima de cada pessoa.

“Sou a favor da limpeza no esporte, mas não concordo em ter de liberar uma hora do dia durante toda sua carreira para que eles possam vir fazer um exame na hora que quiserem”, ressaltou.

Nadal reclama das regras para exames antidoping

Sem mais artigos