O álbum Nevermind, maior sucesso de vendas da carreira do Nirvana e grande responsável pela explosão mundial do fenômeno grunge, está completando nesta quinta a sua maioridade, 18 anos após seu lançamento nos EUA.

Além da importância sonora que o álbum produzido por Butch Vig teve na música mundial, sua capa tornou-se uma das mais icônicas da história do rock. Todo mundo conhece a cena do bebê nadando atrás de uma nota de um dólar presa a um anzol, que ganhou incontáveis citações e remakes.

Sem contar a famosa versão que mostra Bart Simpson nadando atrás de uma nota do Palhaço Krusty (ídolo do jovem filho da família Simpson), a capa de Nevermind também ganhou duas reedições com o  próprio garoto fotografado na obra original.

Spencer Elden, que teve seu nome gravado no mundo da música com a capa do segundo disco da banda liderada por Kurt Cobain, apareceu em duas releituras da imagem, ambas fotografadas por Kirk Weddle.

A primeira foi em 2001, em um ensaio da revista Rolling Stone para celebrar o lançamento do box póstumo Nirvana. Na época, o garoto de 10 anos mergulhou de calças atrás de uma nota de dez dólares.

Em 2008, em mais um ensaio para a famosa revista especializada em música dos EUA, Spencer voltou à piscina para tentar pegar a nota de um dólar, desta vez com 17 anos de idade e cursando o colegial em Pasadena, na Califórnia.

Nevermind é um disco histórico. Sem ele, não sabemos se o mito Nirvana teria tanta força quanto tem hoje, 18 anos depois do lançamento que fundiu a melancolia do chamado college rock com a intensidade da música grunge que nasceu nos pequenos clubes de Seattle.

Nevermind, álbum que colocou o Nirvana no mapa, completa 18 anos hoje

Sem mais artigos