Se hoje a música sofre da mania do politicamente correto, isso nunca foi um problema para Mussum, um dos maiores humoristas brasileiros, que faleceu no dia 29 de julho de 1994.

Nascido no dia 7 de abril de 1941, Antônio Carlos Bernardes Gomes foi um dos integrantes mais importantes do grupo Os Trapalhões. Ali, Mussum foi o responsável pela criação de um dos personagens mais tira-sarro da comédia brasileira: o sambista sempre com alguns drinques a mais na cabeça, criador de bordões hilários em situações inesperadas (como “vou me pirulitarzis” e “cacildis”).

Originais do Samba

Mas a importância de Mussum foi além da comédia – ele foi um dos integrantes do grupo Os Originais do Samba, que nasceu no Rio de Janeiro e criou raízes em São Paulo. Em 1968, levaram o prêmio máximo da 1º Bienal do Samba, com a rendição da música Lapinha, de Baden Powell e Paulo César Pinheiro.

O grupo foi um dos primeiros dentro da cena de samba da época a priorizar o uso de figurinos e coreografias. Lançaram vários álbuns com composições como Cadê Teresa, de Jorge Ben Jor, além de um enorme repertório de músicas inéditas.

A carreira de Mussum como sambista foi uma grande influência para músicos como Thiaguinho, vocalista do Exaltasamba. “Os Originais do Samba foi o primeiro grupo de samba a ter um cachê elevado,
mas não pelos seus componentes, e sim por sua musicalidade”, afirmou o músico.

“Existem duas músicas que cresci ouvindo e que me ajudaram bastante na carreira de músico. A primeira é Assassinaram o Camarão. Já a segunda é uma composição solo do Mussum, chamada Filosofia de Quintal, que é
sensacional”, completou Thiaguinho, que também considera que o músico e humorista foi fundamental para a popularização do samba.

Mussum

O Mussum sambista não existia apenas dentro do Originais do Samba – em 1980, ele lançou seu primeiro álbum-solo. Chamado simplesmente Mussum, trazia clássicos do gênero com incursões inusitadas em baladas românticas.

Em sua carreira solo, Mussum lançou também os álbuns Água Benta e Because Forever, e conseguiu trazer para o samba algumas pérolas de seu vocabulário particular, como na música The Old Fashioned Way, clássico de Charles Aznavour em que o sambista termina as frases com palavras com “is”, como “housis” e “casis”.

Assista abaixo aos vídeos de Assassinaram o Camarão e Do Lado Direito da Rua Direita:

Sem mais artigos