O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, admitiu no final da manhã desta sexta-feira (9) que ficou “surpreso e honrado” por ter recebido Prêmio Nobel da Paz de 2009.

Em discurso nos jardins da Casa Branca, Obama disse que aceita o prêmio como “uma chamada à ação” para resolver os problemas mundiais, entre os quais enumerou a luta contra a mudança climática e o conflito israelense-palestino.

Segundo ele, não percebe o prêmio como “um reconhecimento” a suas “próprias conquistas”, mas de acordo com as metas que fixou para o mundo.

“Não tenho a impressão de que mereça estar na companhia de tantas personalidades transformadoras que foram homenageadas com este prêmio”, reconheceu o presidente americano.

Em uma nota mais pessoal, revelou que, esta manhã, sua filha Sasha, de 8 anos, lhe comunicou: “papai, você ganhou o Prêmio Nobel da Paz. E é o aniversário de Bo”, o cachorro da família presidencial.

“Não há nada como ter filhos para manter a perspectiva das coisas”, brincou o presidente americano.

Prêmio

O Instituto Nobel da Noruega anunciou nesta sexta-feira que concede o prêmio a Obama por seus “esforços extraordinários para reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos”.

O presidente americano chegou à Casa Branca com a promessa de começar uma nova etapa de cooperação com a comunidade internacional, depois das tensões vividas durante o mandato de seu antecessor, George W. Bush.

Obama prometeu o fechamento da prisão de Guantánamo para janeiro, propôs um mundo sem armas nucleares, ofereceu a abertura de um diálogo ao mundo muçulmano e se comprometeu a se envolver pessoalmente em conseguir a paz no Oriente Médio, mas, até o momento, não conseguiu fechar nenhum destes objetivos.

Esta é a terceira vez que um presidente dos Estados Unidos no cargo recebe o Nobel da Paz, após Theodore Roosevelt (1906) e Woodrow Wilson (1919).

Obama se declara "surpreso e honrado" pelo Nobel da Paz

Sem mais artigos