Um grupo de 11 pessoas que fraudava o sistema de concessão de vistos para trabalho temporário nos Estados Unidos foi preso nesta segunda-feira (7) em quatro estados brasileiros – São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. Ainda foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão no Mato Grosso.

Os detidos, que praticavam a fraude desde 2002, são acusados de formação de quadrilha e estelionato. Há indícios também de lavagem de dinheiro, segundo informações do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

Pelo menos 4,5 mil brasileiros foram vítimas do esquema de fraude. O grupo prometia colocação profissional no mercado de trabalho americano em troca do pagamento de até US$ 15 mil. De acordo com o Ministério Público, o grupo pode ter arrecadado R$ 90 milhões em sete anos.

A fraude também ocorreu em países como a Rússia, a República Dominicana, as Filipinas, a Romênia e os Emirados Árabes, mas esses países não foram incluídos nas investigações.

A apuração começou em 2003, quando o setor responsável pelo combate à fraude no Consulado dos Estados Unidos em São Paulo detectou prováveis irregularidades na concessão de vistos.

Em 2008, o consulado acionou o Ministério Público de São Paulo, que passou a coordenar a investigação. O trabalho contou com a parceria da Secretaria de Segurança Pública, do Poder Judiciário, da Receita Federal e da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

Onze pessoas são presas por fraudes na concessão de visto para os Estados Unidos

Sem mais artigos