Cerca de 30 policiais federais e 250 militares do Exército estão há nove dias em missão no interior do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, situado no extremo norte do país, na divisa com a Guiana Francesa. O objetivo é coibir a prática de crimes ambientais e de delitos como a prática da garimpagem ilegal.

Prevista para terminar hoje (26), a Operação Simbiose tem também participação de agentes da Receita Federal, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes.

Segundo nota divulgada ontem (25) pela Polícia Federal (PF), já foram feitas buscas em duas comunidades localizadas no interior do parque nacional, que tem cerca de 4 milhões de hectares nos estados do Amapá e do Pará. De acordo com a PF, as comunidades de Ilha Bela e Vila Brasil, no Amapá, serviam de base de apoio para os garimpos existentes na região. Na operação, foi apreendido farto material que abastecia esses garimpos.  

Na comunidade de Ilha Bela, fincada em meio à área de preservação federal, foram apreendidas armas, rádios comunicadores, 1.200 litros de óleo diesel e baterias. Já ao longo do Rio Oiapoque, onde os agentes realizam patrulhamento ostensivo, foram retidos motores de popa e dois jet-skis cujos donos não apresentaram os documentos de propriedade.

Mais armas e material para garimpagem foram apreendidos em áreas de extração ilegal que funcionavam no interior do parque. Barreiras foram montadas em estradas da região do município de Calçoene, no Amapá, com o objetivo de combater o contrabando de mercadorias.

Sem mais artigos