Os adversários do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recorreram nesta quinta-feira (20) contra o arquivamento, decidido ontem pelo plenário do Conselho de Ética, de cinco representações contra Sarney, sem qualquer menção para as seis denúncias feitas pelos senadores Arthur Virgílio (PSDB-AM) e Cristovam Buarque (PDT-DF), também arquivadas pelo Conselho.

O recurso é assinado por 11 senadores de PSOL, PDT, PSB, DEM, PSDB, PT e PMDB, fazendo menção apenas a três representações do PSDB e duas do PSOL. Não há qualquer confirmação sobre a validade do recurso, já que o regimento da Casa prevê a possibilidade de recorrer contra decisões negativas, mas as regras do Conselho não mencionam tal possibilidade.

Os opositores de Sarney anexaram ao pedido um parecer da consultoria legislativa do Senado. A decisão, porém, será tomada pela Mesa Diretora da Casa. O senador Wellington Salgado (PMDB-MG), um dos membros da “tropa de choque” de Sarney, comparou a tentativa da oposição de um “cheque sem fundos, que bate e volta” exatamente pelo fato do regimento do Conselho de Ética não prever tal possibilidade.

Ele alega que a oposição deveria ter se contentado com a derrota na sessão de ontem do Conselho, pontuando que o senador José Nery (PSOL-PA), organizador do recurso, deseja criar “falsas expectativas”, já que a decisão “só vai expor a Mesa e o plenário”. Para ele, “estamos vivendo 2010. A oposição vai tentar fazer uma crise todo dia. Essa já passou, mas aí eles vão ir atrás de outras”.

Sem mais artigos