Senadores oposicionistas repudiaram veementemente a declaração do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que os classificou de “bons pizzaiolos“.

Depois de ter afirmado que não se preocupa com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, instalada na terça-feira (14), Lula pronunciou a frase “todos eles são bons pizzaiolos” ao dizer que a possibilidade da CPI não dar em nada depende dos próprios senadores.

A reação veio da parte de vários oposicionistas. “Não é possível um presidente da República chamar senadores de pizzaiolos. Sinto-me profundamente ofendido com isso, uma frase oportunista”, declarou, em plenário, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que apresentou requerimento para que o Senado peça esclarecimentos ao presidente Lula. O pedido de Buarque foi acolhido pelo vice-presidente do Senado, Marconi Perillo, que presidia a sessão.

Para o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), Lula “não se dá ao respeito”. “Ele não conduz seu mandado com a liturgia que o cargo exige. Quero crer que cabe aos partidos da oposição provocar a Justiça Eleitoral, movendo uma ação contra o comportamento afrontoso do presidente”, sugeriu o senador, afirmando que, “ao desrespeitar o Senado”, Lula autoriza os parlamentares a afirmarem que ele, sim, é o “maior pizzaiolo do país”.

“Eu indago quando o presidente puniu os acusados de irregularidades que, em seu governo, não foram poucos. Ao contrário, o presidente sempre passou a mão na cabeça destes acusados. O presidente não se dá ao respeito”, concluiu Dias.

Para o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), se não quiser que a CPI da Petrobras deixe de apurar as denúncias envolvendo a estatal petrolífera, apontando eventuais culpados, o presidente Lula deve, então, orientar sua bancada.

O único parlamentar a tentar defender o presidente foi o pemedebista Almeida Lima (SE), que questionou o senador Cristovam Buarque, primeiro a mencionar a declaração presidencial em plenário, quanto ao contexto e à veracidade da afirmação.

“Digamos que ele não tenha se reportado a nenhum senador, nem à Casa?”, ponderou  Almeida Lima, ao que Buarque perguntou se ele o estava chamando de mentiroso.

Sem mais artigos