O Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro assina amanhã (30) convênio com a mineradora Vale para preservação da área de visitação do parque, conhecida como Arboreto. A empresa investirá R$ 2 milhões na preservação da área de 57 hectares, nos próximos dois anos. A solenidade terá a presença do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc.

“Para o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, o convênio com a Vale é estratégico, à medida que ele vai ao encontro da perspectiva de conservação do Arboreto. A conservação de jardins botânicos hoje tem um papel estratégico para a conservação da biodiversidade”, ressaltou o diretor administrativo do instituto, Renato Cader.

A Vale vai patrocinar o projeto de manutenção do Arboreto, que reúne cerca de 9 mil espécies vegetais, de ecossistemas brasileiros e de outros países. “Isso para a gente é fundamental, porque tira uma carga de despesas operacionais do instituto de pesquisas do Orçamento Geral da União, com o setor privado colaborando nessa Parceria Público-Privada para a conservação do Arboreto”, destacou Cader.

O diretor salientou ainda o papel estratégico do instituto para o Estado brasileiro de elaborar a lista de espécies vegetais ameaçadas de extinção e o cadastro de espécies da flora brasileira. “O nosso Arboreto é um museu vivo, um acervo. E todas essas plantas precisam ser conservadas para serem pesquisadas.”

Sem mais artigos