O Partido Pirata, que defende a liberdade de conteúdo na Internet, conquistou uma cadeira nas eleições para o Parlamento Europeu. A legenda sueca conseguiu 7,1% dos votos no país, o suficiente para ganhar um assento dentre os 18 que o país tem no Parlamento. Ao todo, a Casa é composta de 785 cadeiras.

Chrisitian Engstrom, o principal candidato do partido, disse que o resultado foi fantástico. “Isto mostra que há muitas pessoas que pensam que a integridade pessoal é importante e que importa que lidemos com a Internet e com a nova sociedade da informação da maneira certa.”

O Partido Pirata ganhou um salto de popularidade após a condenação de quatro homens ligados ao Pirate Bay, um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo. Apesar dos nomes semelhantes, o partido e o site não têm nenhuma relação. O partido foi criado em 2006 e defendia uma eleição geral sueca aquele ano, mas recebeu menos de 1 por cento dos votos.

“Nós somos muito fortes entre aqueles que têm menos de 30 anos. Eles são quem entendem o melhor do novo mundo. E agora eles sinalizaram que não gostam de como os grandes partidos lidam com estas questões”, explicou Engstrom.

Sem mais artigos