Uma pesquisa divulgada nesta terça (24) traz um asssutador mapa da violência contra o jovem no Brasil. Entre os dados levantados estão: 88% dos jovens do país já viram corpos de pessoas assassinados; 64% acham normal ver pessoas que não são agentes da lei com armas de fogo; as cidades mais violentas para o jovem estão no Norte e Nordeste.

Foram ouvidos 5.182 jovens entre 12 e 19 anos, de ambos os sexos, em 31 municípios de 13 Estados do Brasil. A pesquisa foi feita pelo Instituto Datafolha, em associação com o Ministério da Justiça e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Para um terço dos pesquisados, a violência é parte integrante de suas vidas, a mesma proporção dos que disseram ser fácil conseguir uma arma de fogo. Aproximadamente 50% dos jovens já presenciaram violência policial, sendo que para 11% isso é algo corriqueiro.

“O resultado é comovente. Demonstra que o caminho de construção das políticas para Segurança Pública deve ser por outro paradigma”, declarou  o ministro da Justiça, Tarso Genro, em coletiva para a imprensa.

Uma das conclusões da pesquisa é que condição social e região tem influência direta na vulnerabilidade do jovem.

No topo da lista das cidades mais violentas para o jovem estão, nesta ordem, Itabuna (BA), Marabá (PA), Foz do Iguaçu (PR), Camaçari (BA), Governador Valadares (MG), Cabo de Santo Agostinho (PE) e Jaboatão dos Guararapes (PE). As mais tranquilas são São Carlos (SP), São Caetano do Sul (SP), Franca (SP), Juiz de Fora (MG), Poços de Caldas (MG) e Bento Gonçalves (RS).

Sem mais artigos