A Petrobras anunciou na noite da quinta-feira (20) uma nova descoberta de petróleo leve no pós-sal (reservatórios carbonáticos) da Bacia de Campos, no litoral norte fluminense.

A descoberta se deu a partir da perfuração de um poço exploratório informalmente denominado Aruanã, na Concessão Exploratória BM-C-36 (bloco C-M-401), onde é operadora exclusiva.

Segundo nota da estatal, análises preliminares indicaram a presença de volumes recuperáveis em torno de 280 milhões de barris de petróleo leve (28º API), de maior valor comercial e com boa produtividade.

O Bloco BM-C-36 foi adquirido na sétima rodada de licitação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), ocorrida nos dias 17 e 18 de outubro de 2005.

O poço está localizado a cerca de 120 quilômetros da costa do Rio de Janeiro a uma profundidade de 976 metros de lâmina d’água.

A descoberta foi comprovada por avaliações (teste de formação em poço revestido) em reservatórios localizados entre 2.993 e 3.123 metros de profundidade. A empresa agora desenvolverá um Plano de Avaliação para ser apresentado à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Segundo informações da empresa, entre 2007 e 2009, em reservatórios geologicamente semelhantes a esta descoberta, também na Bacia de Campos, a Petrobras havia perfurado no Campo de Marlim Sul, os poços de Jurará e Muçuã, em águas de 1.200 metros de profundidade.

Esses dois poços permitiram estimativas, em conjunto, de 350 milhões de barris recuperáveis também de petróleo leve (27º API). O desenvolvimento desses projetos já está previsto no Plano Estratégico 2009-2013, que prevê investimentos de US$ 174,4 bilhões. O início da produção se dará através das plataformas P-51, que já produz petróleo na área e; em 2011, na plataforma P-56, que está em construção.

Sem mais artigos