Desparecido desde domingo no Atlântico, o avião da Air France não seguia a altitude prevista em seu plano de voo quando a aeronave foi registrada pela última vez pelo radar de Fernando de Noronha, às 22h48 (horário de Brasília).

Elaborado antes da decolagem, o plano de voo previa que o Airbus deveria subir de 35 mil pés (10,7 km) para 37 mil pés (11,3 km) depois de passar pelo ponto virtual Intol (565 km ao norte de Natal). Mas, segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), o avião se manteve a 35 mil pés à frente do ponto.

Não sabe o motivo da permanência na altitude. Alterações são comuns, desde que comunicadas. Os pilotos muitas vezes têm de alterar sua rota devido a mau tempo, turbulências ou porque voos diferentes têm planos coincidentes.

Também não há registro de que os controladores tenham autorizado o Airbus a se manter a 35 mil pés no ponto onde ele deveria estar a 37 mil pés.

O esclarecimento dessas informações pode ajudar a explicar a queda do avião.

Sem mais artigos