As aparências enganam. A roqueira baiana Pitty revelou à revista TPM que, durante a adolescência, nunca se meteu em confusão: “Já barbarizei muito. Mas nem foi de sexo e drogas. Era de não querer regras mesmo. (…) Ao mesmo tempo, não era idiota, não me metia em confusão. Nessa época descobri a maconha. A galera fumava, eu não tinha vontade. Achava ridículo. Se todo mundo fumava, queria ser do contra”.


 


Pitty ainda falou sobre o namorado, Daniel Weskler, que é baterista do NX Zero. “Quando nos conhecemos eu tinha 28 e ele, 20. Foi num VMB, em 2006, numa noite em que eu tinha sido superpremiada. Menino bonito, bom papo, acabamos ficando juntos nessa noite, mas pra mim não ia passar disso. Estava pela primeira vez na vida solteira e pensava: ‘Agora vou barbarizar, botar pra foder. Vou comer todo mundo e beijar todas as bocas que aparecerem’. Mas não conseguia, não sou assim. E aí acordei no dia seguinte pensando no Daniel… Ele me ligou, a gente saiu e descobri que ele era muito mais que um menino bonitinho”. 


 


Na mesma entrevista, a cantora declarou que o aborto espontâneo que sofreu em 2007 foi a pior noite de sua vida, mas que não tem pressa para engravidar novamente.

Pitty revela que queria ser "do contra" durante a adolescência

Sem mais artigos
Sair da versão mobile