Um dos dois suspeitos de ter assassinado o coordenador do AfroReggae, Evandro João da Silva, foi preso na noite da segunda-feira (26).

A prisão ocorreu após investigação do Serviço de Inteligência da Polícia Militar, por volta das 22h50, no local próximo onde o crime ocorreu. Identificado como “Romarinho”, o suspeito foi encaminhado para a 1ª DP (Praça Mauá), onde prestou depoimento. Porém, o outro criminoso envolvido na ação, ainda continua foragido.

A polêmica morte de Evandro gerou uma crise na PM do Rio, após um capitão e um cabo da corporação serem flagrados por câmeras de segurança liberando os dois assaltantes. Eles foram acusados ainda de negar socorro à vítima. Presos na semana passada, os dois negaram omissão de socorro.

Em entrevista ao lado do comandante geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, o coordenador executivo do AfroReggae, José Júnior, se referiu aos policiais como “marginais criminosos fardados”, constrangendo o comando da corporação.

As declarações desagradaram o comandante-geral da PM, que disse que se sentiu “ofendido” e afirmou ainda que o coordenador deve se desculpar pelo que disse. Logo depois, o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), classificou de “bandidos ao quadrado” os policiais militares suspeitos de envolvimento no caso.

Sem mais artigos