O PMDB cancelou a reunião que faria nesta quarta-feira (9) para discutir a posição nacional do partido diante da crise enfrentada pelo governo do Distrito Federal (DF). A explicação é que, como o PMDB local já anunciou a saída da base de apoio do governo estadual, não haveria motivo para manter a reunião nacional.

“A decisão política de sair do governo [Arruda] é local, independe do PMDB nacional”, disse o presidente da Câmara, o peemedebista Michel Temer (SP).

O governador José Roberto Arruda, filmado recebendo dinheiro de seu ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa, é acusado de participar de esquema de corrupção e pagamento de propina. Diversos deputados distritais do partido também aparecem em gravações recebendo dinheiro de Durval Barbosa. O PMDB ainda não definiu se haverá punição contra esses deputados, deverá apenas fazer o acompanhamento das investigações que estão sendo feitas em outras instâncias.

Em gravações aparecem também o nome de deputados federais do PMDB, como o presidente da Câmara, Michel Temer (SP), o líder Henrique Eduardo Alves (RN), além de Eduardo Cunha e Tadeu Filippelli, que é presidente do partido no Distrito Federal. Todos receberiam um percentual de dinheiro. A denúncia aparece em conversa gravada entre Durval Barbosa e o empresário Alcyr Collaço.

Michel Temer disse que já tomou as providências judiciais cabíveis e que não está preocupado com o assunto. “Absolutamente, nenhuma preocupação. Aqueles que disseram o que disseram, vão responder”, finalizou.

Sem mais artigos