Os dois policiais militares que não prestaram socorro a Evandro João Silva, o coordenador do grupo cultural AfroReggae que foi morto no domingo (18) no Rio de Janeiro, tiveram a prisão administrativa decretada após serem interrogados na noite da quarta-feira (21).

De acordo com a PM, os dois policiais devem ficar presos durante 72 horas no 13º Batalhão (Praça Tiradentes) enquanto o caso é investigado. Os nomes dos policiais não foram divulgados, mas, segundo a TV Globo, um dos oficiais tem a patente de capitão.

Caso

Imagens de câmeras de segurança divulgadas pela TV Globo mostram o momento do assalto que culminou na morte de Silva. As imagens mostraram que uma viatura da polícia passou por onde Silva estava após ser baleado, mas não socorreu a vítima.

Momentos depois, os policiais abordam os dois homens que participaram do crime e um dos oficias carrega os pertences roubados para dentro da viatura. Em seguida, um dos criminosos vai embora.

Sem mais artigos