A Polícia deteve hoje o suspeito de abrir fogo no escritório de uma empresa em Orlando, na Flórida, em um ataque que, segundo números oficiais, deixou pelo menos um morto e cinco feridos.

Segundo Val Demmings, chefe do Departamento de Polícia de Orlando, Jason Rodríguez, de 40 anos, foi detido na casa de sua mãe sem resistência após uma busca de menos de duas horas.

Em coletiva de imprensa, o porta-voz policial afirmou que foi confirmada a morte de uma pessoa e que várias outras estão feridas, entre elas uma com problemas cardíacos.

“Rodríguez foi demitido de seu trabalho em 2007 e hoje voltou atirando dentro do escritório da Reynolds, Smith and Hills”, explicou Demmings.

Os policiais estão interrogando o suspeito para determinar se ele tinha “um objetivo em particular”. “Eles querem determinar qual o estado em que ele estava ao chegar ao edifício”, disse o porta-voz.

Também estão sendo interrogadas as pessoas que faziam a segurança do edifício onde aconteceu o tiroteio.

Antes de o porta-voz policial se pronunciar, uma fonte oficial tinha confirmado à agência EFE que pelo menos duas pessoas tinham morrido e seis ficado feridas no tiroteio.

“No momento acredita-se que haja duas mortes confirmadas e seis feridos, mas tenho ouvido versões de que poderia haver até 17 pessoas feridas”, disse John Tormos, porta-voz do Departamento de Bombeiros de Orlando.

O porta-voz dos Bombeiros informou que a Polícia está inspecionando o prédio, situado em Legions Place, apartamento por apartamento e que por isso “é difícil” ainda dizer com precisão quantas pessoas ficaram feridas.

Boby Dager, prefeito de Orlando, disse “que era um dia triste para Orlando, mas os cidadãos devem se sentir orgulhosos, pois a Polícia atuou rapidamente”.

Rodríguez trabalhava na empresa Reynolds, Smith and Hills, de consultoria de transporte com filiais em nível nacional. Entre seus clientes estão a Agência Espacial e o Departamento de Defesa. De acordo com documentos judiciais, o suspeito se declarou falido este ano.

Sem mais artigos