A Polícia Federal (PF) indiciou no sábado (3) dois homens que teriam envolvimento no roubo e vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que seria aplicado neste final de semana.

De acordo com reportagem publicada neste domingo no jornal O Estado de S. Paulo, a PF indiciou o empresário e publicitário Luciano Rodrigues e o DJ Gregory Camillo de Oliveira Craid. Ambos foram interrogados durante a tarde do sábado na superintendência regional da PF em São Paulo.

Os oficiais não viram necessidade de manter ambos presos e, durante seu depoimento, Gregory assegurou que Felipe Pradella foi quem obteve as provas, repassadas então a ele. A PF apura se Pradella é segurança do consórcio contratado para aplicação e logística, ou então se trabalhava como coordenador do manuseio do caderno com as questões.

O que falta explicar?

O objetivo agora é apurar como ele conseguiu a prova, ou seja, se o roubo ocorreu “no exercício do cargo” ou então se houve ajuda de algum superior. Se até amanhã ele não se apresentar, a Polícia Federal deverá pedir que a Justiça autorize sua prisão, emitindo ainda mandados de busca para a residência do acusado.

Apesar da liberação, Rodrigues e Gregory foram indiciados por violação de sigilo funcional, com pena que varia de seis meses a dois anos de prisão, além de responderem pelo artigo 327 do Código Penal, que define como “funcionário público” quem, embora de maneira transitória ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública, o que pode provocar o aumento da pena em até um terço do total.

O DJ, que chegou a ser procurado nas duas casas noturnas em que normalmente se apresenta, disse aos policiais que, após receber as provas de Pradella, procurou Rodrigues, que seria seu amigo, na pizzaria da qual este é dono, no bairro dos Jardins. Admitindo que pretendia vender os documentos, ele disse ter sido procurado porque o amigo “sabia que eu tinha contato com a imprensa porque sou DJ e conheço muitos repórteres”.

Novas definições

Deve ser anunciada a nova data para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Segundo o órgão, a prova deve ser realizada na segunda quinzena de novembro.

O MEC informa que uma nova prova do Enem já está pronta e se encontra protegida em um cofre do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. A nova prova tem o mesmo número de questões da prova anterior, que vazou nesta semana e foi adiada.

O presidente do Inep, Reynaldo Fernandes, que esteve reunido durante toda a tarde deste sábado com o ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que 55 reitores de universidades vão se reunir com o comitê gestor do Enem na segunda-feira para definir a melhor data para a realização do exame.

Há a possibilidade de a prova ser realizada em um dia de semana devido à dificuldade de conciliar a nova data do Enem com os vestibulares.

Polícia Federal indicia dois por vazamento do Enem

Sem mais artigos