A Polícia Civil de São Paulo prendeu novamente o ex-seminarista Gil Rugai, acusado de matar o pai e a madrasta na casa onde moravam. Rugai foi preso por volta das 6h da manhã desta terça-feira (25) na casa de parentes no bairro Sumaré, zona oeste de São Paulo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o estudante foi encaminhado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para registrar um boletim de ocorrência e depois será encaminhado para um Centro de Detenção Provisória, ainda não especificado pela SSP.

O crime ocorreu em 28 de março de 2004. Ele responde a processo por homicídio e deve ir a júri popular pelo crime. A data ainda não foi definida.

Histórico

Gil rugai teria brigado com o pai por causa de uma empresa mantida em segredo e um desfalque de R$ 100 mil na Referência Filmes, empresa de Luiz Rugai, pai de Gil.

A arma do crime foi encontrada mais de um ano depois, na tubulação de esgoto do prédio em que ficava a empresa de Gil, a KTM Comunicação. Segundo o Instituto de Criminalística, a arma foi utilizada no crime.

Em abril de 2006, o ex-seminarista havia sido solto por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), mas voltou a ser preso em setembro de 2008 por ter se mudado de cidade sem informar à Justiça.

Já na última sexta-feira (21), a 5ª Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) revogou liminar que solicitava um novo habeas corpus de Rugai, o que permitiu que ele voltasse para a prisão nesta terça.

Polícia paulista prende novamente Gil Rugai, acusado de matar o pai e a madrasta

Sem mais artigos