A polícia de Los Angeles está a caça do médico que teria estado com Michael Jackson na hora de sua morte. O médico, cujo nome não foi revelado pela polícia, pode estar desaparecido. Seu carro foi encontrado do lado de fora da mansão do cantor e foi apreendido pela polícia para investigação.

Um porta-voz da polícia disse: “Os oficiais e o legista ainda não o questionaram. Se eles sabem onde ele está, se conseguem achá-lo, eu não sei.”

A investigação quer saber do médico porque ele não emitiu um atestado de óbito para Michael, procedimento padrão para esses casos.

Crescem os rumores de que a morte do astro estaria ligada a anos de uso de analgésicos. Amigos da família confirmaram que, com a série de 50 shows na Inglaterra se aproximando, Michael estaria tomando esse tipo de remédio para controlar o stress. Correm boatos também que um médico teria aplicado uma injeção de uma droga equivalente a morfina (demerol) algumas horas antes de ele sofrer a parada cardíaca

Um advogado da família, Brian Oxman, declarou que não sabia o quanto de remédios Michael andava tomando mas que “isso é algo que eu temia e sobre o qual avisei”, ele disse à CNN. “Só posso dizer que isso não foi algo inesperado.”

Sem mais artigos