Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, disse hoje
(24), na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, que o preço da gasolina no
Brasil não será reduzido e que está alinhado com valores internacionais. A
empresa, segundo ele, teve em 2008 sobra de caixa de R$ 16 bilhões e já conta
para este ano com financiamentos de bancos internacionais no valor de US$ 6
bilhões.

 

Gabrielli disse ainda que a estatal prevê investimentos
internos de US$ 158,2 bilhões entre 2009 e 2013, o que representa uma média
anual de US$ 20 bilhões. Isso implicará na necessidade de criação de mais de 1
milhão de postos de trabalho por ano e na preparação de 243 mil trabalhadores
para o setor. A geração de riqueza média anual no período será de R$ 309
bilhões.

 

Gabrielli lembrou que em 2008 a Petrobras proporcionou ao
país uma arrecadação aproximada de R$ 80 bilhões em impostos, contribuições e
participações governamentais.

Preço da gasolina não baixa de jeito nenhum

Sem mais artigos