A empresária Eliana Tranchesi, foi presa na manhã desta quinta-feira (26/03) em
sua residência por uma equipe de agentes da Polícia Federal. A dona da
loja de artigos de luxo Daslu foi condenada por crimes de descaminho e
formação de quadrilha e sentenciada a cumprimento da pena imediatamente
em regime fechado.

A empresária é suspeita de praticar quatro crimes que, se somados, podem chegar a 94 anos de reclusão. A pena mínima prevista, caso ela seja condenada, é de 21 anos.

Eliana Tranchesi está custodiada em uma cela do presídio feminino do Carandiru, na zona oeste da capital paulista, mas deve pode ser transferida até o final da tarde.

Ela e os sócios da Daslu foram alvos da operação Narciso da PF,
realizada em 2005 e que investigou o esquema de fraudes e
subfaturamento de importações de artigos de luxo. A sentença foi
proferida pela juíza Maria Isabel do Prado, da 2ª vara federal de
Guarulhos, na Grande São Paulo.

Além de Eliana, outras duas pessoas acusadas de descaminho e sonegação
fiscal foram presas – Antonio Carlos Piva de Albuquerque, irmão de
Eliana, e Celso de Lima, da importadora Multimport.

Ao todo são sete mandados de prisão expedidos.

Advogada

Por meio de nota, a defesa da empresária informou que deve entrar ainda nesta quinta-feira com um pedido de habeas corpus. De acordo com a advogada da Daslu, Joyce Roysen, a defesa ainda procura ter acesso à sentença.

“Estamos certos de que Eliana Tranchesi terá sua liberdade imediatamente devolvida pelo Poder Judiciário”, disse Roysen.

A defesa de Eliana entregará à Justiça um laudo médico sobre a gravidade do estado de saúde dela. A empresária está sob tratamento de quimioterapia para combater um câncer.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o laudo explicará que a saúde da empresária está tão fragilizada que ela corre risco de morte caso não seja solta imediatamente. Eliana Tranchesi descobriu um câncer no pulmão esquerdo, do qual retirou um tumor, após o escândalo da fraude nas importações na Daslu, em 2005.

Presa pela PF, dona da Daslu pode ser condenada a 94 anos de prisão

Sem mais artigos