O Brasil, provável país sede da Copa América de 2015, conforme o rodízio estabelecido pela Conmebol na década de 1980, quando foi determinada a escolha por ordem alfabética, deverá abdicar deste direito e trocar com o Chile para receber assim a edição de 2019 da competição continental. Pelo menos é o que garantiu o presidente Lula, que atendeu um apela de Michelle Bachelet, presidente chilena.

“Eu me comprometi com a presidente Bachelet (Chile) para trocar a organização da Copa América de 2015 para 2019. Falarei pessoalmente com o Ministro dos Esportes (Orlando Silva) e os homens do futebol no nosso país”, disse o presidente em evento na cidade de São Paulo.

O pedido formal foi realizado ao governo brasileiro pela própria Bachelet, que acredita na evolução do esporte e da estrutura de seu país com a realização do evento, disputado pela última vez no Chile no ano de 1991. Na oportunidade, a Argentina sagrou-se campeã do torneio ao vencer o Brasil na final.

“Queremos fazer uma Copa América muito especial e mostrar uma série de estádios que estamos preparando e melhorando para receber as seleções do continente, como o Brasil, e todos os brasileiros que acompanharão sua seleção no torneio”, discursou a presidente chilena.

Desde a última edição da competição continental, realizada na Venezuela, a Copa América será disputada apenas de quatro em quatro anos, assim como a Copa do Mundo e a Eurocopa.

Sem mais artigos