O relatório técnico produzido pela Aeronáutica que avalia os modelos de caças para a renovação da frota da Força Aérea Brasileira (FAB) não deverá conter um ranking das propostas. Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, a FAB iria recomendar o Gripen, da sueca Saab, mas foi pressionada pelo governo a refazer o relatório e retirar a hierarquização dos modelos antes de entregar o documento ao ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Informações contidas no relatório preliminar foram divulgadas nesta semana pelo jornal Folha de S. Paulo. Segundo o texto, a FAB classifica o caça francês Rafale, da Dassault, apenas na terceira e última colocação. O vazamento foi interpretado pelo Palácio do Planalto como uma tentativa da Aeronáutica de constranger o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a optar pelo caça sueco, o mais barato entre os três concorrentes.

No entanto, Lula já manifestou diversas vezes sua preferência pelo caça francês. A cúpula do governo também já antecipou que a escolha da proposta será política, apesar das observações da Aeronáutica. Além do Gripen e do Rafale, o caça norte-americano F-18 Super Hornet, da Boeing, também aparece na lista. Segundo a FAB, o modelo americano ficou em segundo lugar.

O relatório deverá ser entregue na próxima semana ao ministro da Defesa.

Sem mais artigos