Os produtores de O Exterminador do Futuro: A Salvação se declararam em falência por não poderem pagar as dívidas contraídas com o filme, um empréstimo financiado por Christian Bale e Arnold Schwarzenegger, entre outros, informou hoje o jornal Los Angeles Times.

Derek Anderson e Victor Kubicek, proprietários dos direitos da saga cinematográfica O Exterminador do Futuro, recorreram na terça-feira à lei de quebras para suas três empresas (T Asset Acquisition Company, Dominion Group e Halcyon Holding Group).

As companhias foram usadas para pagar O Exterminador do Futuro: A Salvação, apesar da rentabilidade do filme.

A produção, que teve um orçamento de US$ 200 milhões, arrecadou quase US$ 370 milhões no mundo todo, um número que ainda não foi fechado, já que é preciso somar o valor que levantará pela distribuição em DVD, o qual não foi lançado, e por receitas menores.

A quebra foi apresentada um dia depois que Anderson e Kubicek criticaram seus investidores por pressioná-los para tomar uma série de decisões equivocadas que os levaram a uma situação que qualificam de embargo ilegal sobre suas propriedades.

A lista de companhias e particulares que financiaram O Exterminador do Futuro: A Salvação inclui nomes conhecidos em Hollywood, mas não vazou o valor que forneceram ao filme.

Sabe-se que o fundo de capital de risco Pacificor de Santa Barbara concedeu US$ 30 milhões para a compra dos direitos do longa-metragem e outros US$ 9 milhões para os gastos do filme.

Entre os afetados pelas consequências da quebra estão o protagonista de O Exterminador do Futuro: A Salvação, o ator Christian Bale, e o diretor da fita, McG, assim como o governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, astro que participou dos primeiros filmes da saga.

Ao recorrer à lei de quebras, Anderson e Kubicek devem apresentar um plano para resolver suas dívidas.

Sem mais artigos