O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, avalia que serão necessários cerca de R$ 10 bilhões a mais em créditos disponíveis no Plano Agrícola e Pecuário, que na safra atual é de R$ 107,5 bilhões, para que a agropecuária possa cumprir as metas de redução das emissões de gases de efeito estufa. A meta de redução de emissões para o setor foi estabelecida pelo governo e vai de 4,9% a 6,1%, até 2020.

Segundo ele, esses recursos seriam emprestados a produtores rurais que aplicassem tecnologias que gerem redução dessas emissões. Stephanes disse que as tecnologias já são aplicadas atualmente, mas serão ampliadas.

Além de oferecer mais crédito, o governo deve gastar, anualmente, cerca de R$ 1 bilhão na equalização dos juros privilegiados a quem participar dessa linha especial de crédito e R$ 500 milhões para reativar o sistema de assistência técnica rural. “Deve-se fazer financiamento com juros privilegiados, criando prêmios a quem usa essas tecnologias como o plantio direto”, afirmou o ministro.

Sem mais artigos