prazo de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que chegaria ao fim nesta sexta-feira (17) foi prorrogado 
até às 23h59 do próximo domingo (19). O motivo é a dificuldade de muitos estudantes para acessar o site do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), vinculado ao Ministério da Educação (MEC).
 
A isenção da taxa de R$ 35 pode ser pedida até o término das inscrições. Se o aluno já tiver concluído o ensino médio em escola pública ou tiver cursado com bolsa na rede particular, deve se declarar com baixa renda. Já para os que não são isentos, o pagamento continua podendo ser feito até quarta-feira (22) dentro do horário bancário.

Segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), os usuários que tiverem gerado o boleto por engano devem acessar novamente o site (usando o CPF e a senha) e clicar em “Acompanhe a sua inscrição”. Nessa área, haverá um campo para corrigir os dados e a possibilidade de gerar novamente o boleto ou solicitar isenção.


O Enem 2009 será aplicado em 1.619 municípios nos dias 3 e 4 de outubro, às 13h, com 180 questões de múltipla escolha. No sábado, primeiro dia de exame, as provas serão de ciências da natureza e ciências humanas. No domingo, haverá provas em linguagens e códigos, matemática e redação. Os resultados serão divulgados na segunda quinzena de janeiro de 2010.


 


PROBLEMAS


 


Desde a última quarta-feira (15) o site do Inep já é alvo de reclamaçoes dos candidatos de todo país. No entanto, a lentidão para fazer as inscrições para o exame, está ainda maior nesta sexta-feira. Segundo o Instituto, o acesso ao site está normal, mas o grande número de usuários simultâneos pode estar congestionando a página.


 


As reclamações são as mesmas: dificuldade de acessar o portal, falta de clareza no formulário além da geração equivocada de boleto bancário, mesmo pra quem é isento. O Virgula tentou várias vezes acessar o site e em todas elas foi impossível por conta da página que expirava. No entanto, o Inep afirma que o acesso está normal e que o sistema opera abaixo da sua capacidade.

Sem mais artigos