Um protesto contra a recente onda de violência no Rio de Janeiro, que já deixou pelo menos 39 mortos, chamou a atenção neste sábado na orla de Copacabana, onde os manifestantes reproduziram a imagem do corpo encontrado dentro de um carrinho de supermercado no Morro dos Macacos, em Vila Isabel.



O ato foi organizado pela ONG Rio de Paz para lembrar a sociedade de que, desde janeiro de 2007, cerca de 20 mil pessoas foram assassinadas no estado do Rio de Janeiro. “Nos últimos mil dias, 20 mil pessoas foram assassinadas no estado do Rio de Janeiro, o estado que vai ser sede das Olimpíadas de 2016. Isso significa 20 vidas interrompidas por dia em nosso estado”, disse o fundador e presidente da Rio de Paz, Antônio Carlos Costa.



Durante o protesto, foram usados 20 carrinhos de supermercado com pessoas carregando máscaras brancas dentro, em referência a uma das cenas mais polêmicas desde o início da onda de violência na cidade. Segundo os dirigentes da Rio de Paz, o fato de uma pessoa ter sido deixada dentro de um carrinho de supermercado mostra o desprezo dos bandidos pela vida humana e o nível de barbárie que impera na cidade.



Para representar o número de assassinatos, a ONG também fez um jogo de imagens em um cartaz no qual o número 20 mil formava anéis olímpicos. “Nós queremos as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro, estamos felizes com isso, mas como sociedade não vamos permitir que estádios de futebol sejam construídos antes de escolas e hospitais. Precisamos prioritariamente levar dignidade para a população necessitada do Rio de Janeiro”, explicou o presidente da ONG. 
 

Protesto em Copacabana reproduz corpo achado em carrinho de supermercado

Sem mais artigos