Sobe para seis o número de pedidos de impeachment de Arruda. Em meio à invasão do plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (DF) por manifestantes, o Partido dos Trabalhadores (PT) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) protocolaram mais dois pedido de impeachment do governador José Roberto Arruda (DEM), acusado de receber propina.

Pela manhã, o P-SOL e a Ordem dos Ministros Evangélicos do Gama, cidade do DF, distante 30 quilômetros de Brasília, também entregaram à Câmara Legislativa pedidos para que Arruda deixe o comando do governo do Distrito Federal. O presidente da Casa, deputado Cabo Patrício (PT), determinou que a Procuradoria da Câmara apresente em 24 horas um parecer sobre os requerimentos protocolados.

Os cerca de 100 manifestantes permanecem no plenário. Eles protestam e pedem a saída do governador com palavras de ordem, camisetas e bandeiras. Os manifestantes subiram nas cadeiras e mesas usadas pelos distritais. A deputada do PT, Érika Kokay, tentou acalmar os manifestantes chamando eles para o diálogo.

Arruda aparece em gravação recebendo dinheiro do ex-secretário de Relações Institucionais do DF Durval Barbosa. Ele nega e disse que os recursos eram para a sua campanha eleitoral e ações sociais.

PT e CUT entram com mais dois pedidos de impeachment de Arruda

Sem mais artigos