A Secretaria de Segurança Pública divulgou neste domingo (23) que quatro mulheres já foram ouvidas no inquérito que investiga as denúncias contra o médico Roger Abdelmassih, dono da maior clínica de reprodução assistida do Brasil.

O médico está preso no 40º DP Vila Santa Maria há uma semana acusado de estuprar 56 mulheres. Ele teria começado a praticar os delitos em 1970. O médico teve o pedido da habeas corpus negado pela justiça na última quarta-feira pelo Tribunal de Justiça do estado de São Paulo. O Conselho Federal de Medicina também suspendeu o registro profissional por tempo indeterminado.

Roger Abdelmassih foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo por estupro praticado contra 56 mulheres, baseando-se nas provas colhidas em inquérito policial instaurado em 2008. O juiz Bruno Paes Stranforini, da 16ª Vara Criminal da Capital, aceitou a denúncia do MP contra o médico e decretou a prisão.

Desde o dia 17 de agosto, sessenta e cinco mulheres já procuraram a Polícia Civil afirmando terem sido vítimas de Roger Abdelmassih.

Quatro mulheres já foram ouvidas no inquérito contra o médico Roger Abdelmassih

Sem mais artigos