O governo de São Paulo vai implementar um sistema de radares capaz de identificar, em poucos segundos, veículos que são produtos de furto ou roubo. Os equipamentos precisam de pouco tempo após a leitura da placa para informar, também, irregularidades como débitos de licenciamento. Ao constatar ilícitos ou pendências, o agente avisa por rádio o comando policial, que determinará o cerco ou a retenção do veículo.

A Secretaria dos Transportes finaliza a licitação para implantar o serviço inicialmente com 41 radares. Os equipamentos serão espalhados pelas rodovias estaduais e devem chegar a 110 aparelhos na sequência. O secretário Mauro Arce considera que o modelo otimizará a fiscalização e trabalha para iniciar as operações até o final do ano.

O presidente da Comissão de Trânsito da OAB São Paulo, Ciro Vidal, considera válida a medida porque faz justiça aos contribuintes que cumprem suas obrigações. O ex-diretor do Detran avalia que atualmente os motoristas apostam na sorte justamente pela fiscalização precária.

A prefeitura de São Paulo já utiliza radares para identificação do desrespeito ao rodízio municipal de veículos. Os equipamentos foram instalados nas marginais Tietê e Pinheiros e demais avenidas de grande circulação para coibir a circulação irregular.

Sem mais artigos