O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, deve demorar 20 dias para se recuperar totalmente da agressão que sofreu no domingo (13) após um comício em Milão.

Berlusconi deixou o local do ato político com o rosto ensanguentado. Segundo os médicos que o atenderam, ele teve lesões na boca e nos dentes, além de uma fratura no septo nasal. Com isso, o primeiro-ministro vai ficar 48 horas sob observação no hospital San Raffaele de Milão, mas não vai precisar ser submetido a nenhuma cirurgia.

“Do ponto de vista clínico, tudo está tranquilo, mas será necessário um período de observação de um ou dois dias”, afirmou Alberto Zangrillo, médico pessoal de Berlusconi.

“O primeiro-ministro não perdeu nunca a consciência e não foi sedado”, disse Zangrillo, acrescentando que do ponto de vista psicológico, Berlusconi soube não sucumbir à preocupação mostrada por seus familiares.

Comício e agressão

O agressor de Berlusconi foi identificado pela Polícia como Massimo Tartaglia, de 42 anos. Segundo a Polícia, Tartaglia não tem antecedentes criminais e teve sua carteira de motorista apreendida há alguns meses.

De acordo com fontes da investigação policial, o agressor de Berlusconi passa por tratamento psicológico há dez anos em um hospital de Milão.

O primeiro-ministro italiano foi agredido ao final de um comício de seu partido, Povo da Liberdade (PDL), na praça do Duomo, em Milão.

O incidente ocorreu depois que o primeiro-ministro desceu do palanque no qual tinha discursado e saudou os presentes ao ato antes de entrar no carro oficial, momento no qual Tartaglia aproveitou para agredí-lo.

Tudo isso aconteceu depois de o primeiro-ministro ter sido interrompido durante seu discurso, transmitido ao vivo pela televisão, pelos protestos de opositores que pediam sua renúncia e o chamavam de “palhaço”.

Berlusconi se irritou e gritou de volta “vergonha” pelo menos três vezes.

Recuperação de Berlusconi após agressão deve durar 20 dias

Sem mais artigos