O governo já decidiu. Irá manter, pelo menos, até outubro a redução das alíquotas de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos produtos da chamada linha branca (geladeiras, freezers, máquinas de lavar etc).

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo desta segunda-feira (22), a equipe econômica já prepara a essa prorrogação.

Por exemplo, no caso das geladeiras, o IPI foi reduzido de 15% para 5%, nos fogões de 5% para zero, máquinas de lavar de 20% para 10% e tanquinhos de 10% para zero.

A confirmação oficial desta medida será anunciada na segunda semana julho, que é o quando vence o prazo atual.

Os pedidos começaram a chegar aos integrantes do governo após a constatação do impacto positivo da medida no varejo.

Os empresários dizem que as vendas de eletrodomésticos em redes como Wal-Mart, Pão de Açúcar, Magazine Luiza, Ricardo Eletro e Casas Bahia cresceram mais de 20% desde a redução do IPI da linha branca.

Segundo o jornal, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já orientou a equipe econômica a prorrogar os efeitos dos porcentuais reduzidos de IPI de produtos da construção civil.

Para a indústria automobilística, a redução do incentivo deve ser gradual no segundo semestre. Por abrir mão destes recursos, o governo deixou de arrecadar R$ 3 bilhões no primeiro semestre  do ano.

Redução de impostos para incentivar varejo deve continuar

Sem mais artigos