O meia-atacante brasileiro Ronaldinho Gaúcho, do Milan, está confiante em sua participação na Copa do Mundo de 2010, segundo entrevista publicada hoje pelo jornal italiano “Corriere dello Sport”.

Para o jogador, caso continue jogando como faz agora, dificilmente o técnico da seleção brasileira, Dunga, deixará de convocá-lo para o Mundial do ano que vem, na África do Sul.

“Com certeza, gostaria de jogar no Mundial de 2010 e também no de 2014, no Brasil. Na África do Sul, quero ser o protagonista absoluto. Sinto saudades de um Mundial excepcional, do jeito que eu gosto”, declarou à publicação.

Sobre as críticas à sua forma física e ao seu jogo, surgidas no começo da temporada, Ronaldinho disse que elas ficaram para trás e que, graças ao apoio do seu atual técnico, o também brasileiro Leonardo, está mais à vontade no Milan, clube ao qual chegou em 2008.

“Fisicamente, sinto-me muito bem. Sinto-me como nos tempos do Barcelona. Voltei a ser o Ronaldinho de antes. Talvez mais forte que antes”, disse o meio-atacante.

O brasileiro disse ainda que o gol de pênalti marcado contra o Real Madrid em 3 de novembro, em um jogo em casa, foi o mais difícil que fez nesta temporada.

Na entrevista ao “Corriere dello Sport”, Ronaldinho comentou que teve muito medo de que Iker Casillas, considerado um dos melhores goleiros do mundo, conseguisse adivinhar para onde chutaria.

“O gol mais difícil de marcar, pelo menos este ano, foi o que fiz contra o Real Madrid, em San Siro. Quem estava no gol era Casillas, que me conhece bem”, disse Ronaldinho.

“Ficava me perguntando: ‘Ele vai se lembrar do meu futebol? De qual parte? De que modo?’ No fim, acabei marcando. Melhor assim, principalmente porque a classificação para as oitavas-de-final da Liga dos Campeões estava em jogo”, acrescentou.

Nesse dia, o meia-atacante fez o gol de empate da partida, que terminou em 1 a 1.

Sem mais artigos