O governo de São Paulo deve lançar na terça-feira (4) um projeto para estimular a carreira dos professores da rede estadual de ensino. A proposta do governador José Serra é alavancar o salário de professores para até R$ 7 mil (e, no caso de um diretor, R$ 8 mil). Atualmente, esses profissionais ganham menos da metade deste valor. As informações são da Folha de S. Paulo.

Mas, para chegar a este patamar, os professores terão que realizar vários testes, não faltar às aulas e ficar pelo menos três anos na mesma escola. Deste modo, o governo espera reduzir a rotatividade e o absenteísmo, além de estimular a formação.

Todo o processo vai demorar 12 anos, dividido em quatros exames a cada três anos. Se aprovado, o candidato terá um aumento de 25% no salário. Mas a nota exigida será maior a cada exame, indo de 6 a 9, tornando mais difícil atingir o salário máximo.

Nenhum professor será obrigado a fazer os exames. Mas, sendo assim, o profissional será beneficiado apenas com os aumentos regulares, baseados em tempo de serviço e diplomas. Um professor com 40 horas/aulas ganha, no final da carreira, cerca de R$ 3,1 mil mensais.

Sem mais artigos